Campo Grande é a vitrine da diversidade artesanal do Mato Grosso do Sul.

Dos povos indígenas, vêm a cerâmica Terena, com motivos tribais, e a cerâmica Kadiwéu, com desenhos geométricos e coloridos, assim como adornos, peças em palha e tecelagens onde se reflete a criatividade de diferentes nações.

Do Pantanal, chegam as miniaturas de animais, como o tuiuiú, símbolo da região, a garça e a onça, além de figuras em cerâmica representando a mulher indígena e a pantaneira, peças de tear, cestos em fibra trançada e esculturas em madeira.

Além disso, o artesanato menos tradicional, mas muito interessante, que se desenvolve na região: bolsas, carteiras, cintos e vestimentas feitos em couro de peixe.

Tudo isso pode ser encontrado na Casa do Artesão, na Morada dos Baís e no Memorial da Cultura Indígena, assim como na Feira Central, no Mercado Municipal e, embora com autenticidade nem sempre garantida, até no camelódromo.