Um dos principais pontos de interesse de Campo Grande é, sem dúvida, o Parque das Nações Indígenas, uma enorme área verde povoada de capivaras, tucanos e araras, que, além de dispor de boa infraestrutura de lazer, abriga o Museu das Culturas Dom Bosco – MCDB, com riquíssimo acervo referente aos povos indígenas da região, e o Museu de Arte Contemporânea – MARCO, com obras de artistas locais.

O Memorial da Cultura Indígena, situado na Aldeia Indígena Urbana Marçal de Souza, a Fazenda Bálsamo, onde se encontra a casa do fundador de Campo Grande, José Antônio Pereira, e a Morada dos Baís, uma das primeiras edificações em alvenaria da cidade, hoje transformada em centro cultural, também merecem uma visita.

E, para levar para casa um gostinho do Pantanal, nada como uma pequena viagem no Trem do Pantanal, que sai de Campo Grande e, depois de passar por Aquidauana, vai até a pequena cidade de Miranda, uma das mais antigas do Mato Grosso do Sul, onde, por meio de danças, costumes, artesanato e tradições, a etnia Terena se mantém soberana artística e culturalmente.