Capital do estado campeão na produção do camarão e com tradicional atividade pesqueira, Natal aproveita bem essa condição. Seus restaurantes dedicam-se a transformar peixes e crustáceos em saborosos pratos, tanto sofisticados e contemporâneos quanto simples e tradicionais. Que tal uma ginga com tapioca, crocante e irresistível, servida no Mercado Público da Redinha ou na Praia da Redinha, antiga vila de pescadores? Ou um prato de camarões sem aquela parcimônia velha conhecida?

As especialidades do sertão têm lugar de honra. A carne de sol, assada ou com nata, acompanhada de macaxeira, feijão de corda e manteiga de garrafa, a paçoca de pilão, o cabrito, o pernil de bode, o Arroz de Leite e o Baião de Dois, são algumas das tantas delícias que encantam e conquistam para sempre.

Mas Natal vai além. Como em outras grandes cidades, seus restaurantes estão em sintonia com a culinária praticada ao redor do mundo e servem receitas das mais diferentes procedências.